Língua gótica e quem a falava:

silubr12.jpg
FNA.jpg
A língua gótica (Gutisko razda) é uma língua pertencente à família indo-européia do ramo germânico do grupo de línguas da Germânia Oriental.

Ela começou seu desenvolvimento como uma língua independente com o advento da união das tribos germânicas do norte, indo do sul da Suécia moderna até a Europa continental. Ele saiu de uso no início do século 9, sendo suplantado pelas línguas das áreas em que os godos viviam na maioria dos países europeus, incluindo Ucrânia, Polônia, Romênia, Itália, Espanha, França, Portugal, países Bálticos, etc.

Chegou até nós na forma de uma tradução da Bíblia, que inclui 336 folhas, das quais 188 foram preservadas. Ele contém o texto dos Quatro Evangelhos.

   No início do século XXI, começam a surgir movimentos de reavivamento da linguagem, através da reconstrução de palavras perdidas e construções de novas. Em 2019, foi criado o Conselho da Língua e Cultura Gótica, composto pelos participantes mais ativos e bem informados desses movimentos. Em seguida, foram fundadas 2 frações - Ostroviggs (caminho oriental), que regulamentava a atividade no campo da revivificação da língua e da cultura na Europa Oriental e era sua representante, Wistravig (caminho ocidental) desempenhando as mesmas funções na Europa Ocidental e na América. No final de 2019, eles estavam unidos em Gutavigs (o Caminho Gótico), que adquiriu o status de organização internacional em 02/09/2019 e manteve suas tarefas territoriais para as facções.